Sem mudanças bruscas, Flamengo reflete para retomar o rumo de olho na estreia na Libertadores

Passada a eliminação na Taça Guanabara depois da perder para o Fluminense na semifinal, o Flamengo vive um período de reflexão e análise para tentar retomar o rumo. O time tem apenas uma derrota até agora no ano, mas o desempenho ruim no clássico foi suficiente para despertar na torcida questionamentos sobre o início do trabalho de Abel Braga.

Internamente, no entanto, a percepção é de que a metodologia não deve sofrer mudanças bruscas. O treinador tem a missão de encontrar o quanto antes uma formação titular e dar mais entrosamento. No próximo jogo, contra o Americano, Arrascaeta deve ganhar uma chance de iniciar entre os 11, embora tenha perdido a bola que resultou no gol da eliminação rubro-negra.

– Não temos que achar que está tudo errado ou culpar alguém. Temos que dar força porque queremos coisas grandes – disse Abel.

Nas conversas após o Fla-Flu, a avaliação é de que a preparação para o jogo foi muito prejudicada por causa da tragédia ocorrida no incêndio no Ninho do Urubu. Além dos dias sem treino por causa do luto, a rotina foi alterada também nos dias de trabalho. Houve, por exemplo, situações em que os jogadores dividiram espaço da academia com membros de entidades como Corpo de Bombeiros e Ministério Público, que faziam vistoria.

Logística da Libertadores pronta: time viaja para Oruro no dia do jogo

Embora as próximas duas partidas sejam pela Taça Rio, contra Americano e Portuguesa, a principal preocupação é a estreia na Libertadores, dia 5 de março, contra o San José, na Bolívia. Como as últimas campanhas do Fla na competição foram frustrantes e a torcida está com expectativa alta após a contratação dos reforços, o pensamento é de começar com o pé direito.

A logística já está preparada. O time viaja para Santa Cruz de la Sierra em voo fretado no domingo de carnaval, dia 3 de março. Na segunda, faz o último treinamento. A viagem para Oruro será na terça, dia do jogo contra o San José. A previsão é de que a delegação desembarque na cidade apenas seis horas antes de a bola rolar para diminuir os efeitos da altitude de cerca de 3.700 metros acima do nível do mar.

Até a viagem para a Bolívia, a expectativa da diretoria é de que o time consiga realizar os treinamentos no Ninho do Urubu, apesar da ameaça de interdição. O clube atualmente mantém apenas atividades diurnas no CT, e só para a equipe profissional.

GLOBO ESPORTE

Compartilhe!