Arão se emociona com pedidos de parentes de duas das vítimas: “Tudo muito forte”

Entrevistado na manhã desta quarta no Ninho do Urubu, William Arão comentou sobre os pedidos feitos por parentes de duas das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu, os meninos Jorge Eduardo e Rykelmo. O volante disse ter ficado muito emocionado.

  • Eu sai de casa hoje dizendo que não iria chorar. … Quando fiquei sabendo o pedido da mãe do Jorge, me senti emocionado, junto com minha família. Agora fiquei sabendo que a mão do Rykelmo pediu também. Me sinto honrado de saber que tive uma influência positiva, mesmo eu cometendo erros. Queriam parecer comigo. Para mim é muito forte. Escrevi um texto para a mãe do Jorge. Não vou levá-lo nas costas apenas para o jogo de amanhã. Vou levar par ao resto da minha vida. Marcado para sempre – disse o volante.

O Flamengo se prepara para mais homenagens nesta quinta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Maracanã, quando enfrenta o Fluminense na semifinal da Taça Guanabara.

Foto antiga com Jorge Eduardo

  • Foi em 2016. Estaria mentido se falasse que lembrava. O contato no dia a dia com essas crianças é emocionante. A gente vê o brilho no olhar delas, os braços arrepiados. Quando vi a foto me emocionei ainda mais, ao saber que eu era um ídolo.

Tentativa de superar a dor

  • A gente não tem uma fórmula mágica, algo que possa fazer que a gente vá esquecer ou superar tudo num estalar de dedos. Vai superando a cada dia, indo trabalhar, honrando esses meninos, nosso trabalho, sonhos, não acredito que essa dor possa sumir, mas com o tempo a gente vai tentando encontrar forças para seguir em frente. O Abel deu uma palavra para o grupo, as palavras foram muito importantes para nós, temos que nos escorar nos companheiros para que um possa ajudar o outro.

Fla-Flu diferente nesta quinta

  • Vai ser difícil, não é um jogo qualquer. Não tenho palavras pra descrever como vai ser, a gente vai tentar acordar amanhã e dar mais um passo adiante. A gente sabe que vão ser muitas homenagens, coisas lindas para eles. A gente também tem um jogo, a gente vai honrar eles como a gente sempre fez no Flamengo, entrando em campo e dando o nosso máximo.

União ainda mais importante

  • Temos que nos ajudar, conversar, nos escorar. Amanhã será um próximo passo. A dor não vai sumir. Juntos teremos mais forças para seguir em frente. Vamos honrar dentro de campo os sonhos desses meninos. Dez deles não vão poder viver esse sonho.

O que esperar do Flu

  • Esperamos um jogo muito difícil. O Diniz tem um estilo único de montar os times. Vamos entrar para vencer, atacar, criar chances, ficar com a bola. Pelo menos de início, vamos esquecer que temos a vantagem do empate. Isso vale dependendo do decorrer do jogo.

Jogadores dão entrevista. Diretoria, não

  • O Flamengo é capaz de tomar as melhores decisões. Sou funcionário. Acredito que tenham seus motivos, que estejam se preparando para esclarecer tudo. Imagino que a direção queira dar todas as respostas.

Globo Esporte

Compartilhe!