Advogados de vítima fatal rebatem declaração de Landim; Fla responde

Os advogados da família do goleiro Christian Esmério, uma das 10 vítimas fatais do incêndio no Ninho do Urubu, publicaram uma nota de repúdio ao que disse Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, em entrevista coletiva concedida no último domingo. Também por meio de nota divulgada à imprensa, o clube deu sua resposta.

Ao atender os jornalistas pela primeira vez desde o incidente, o mandatário afirmou que, no primeiro encontro entre representantes do clube e das famílias das vítimas, não se foi colocado em pauta valores de indenização, e, sim uma espécie de parâmetro inicial para discussão. 

– Existe um aspecto importante: o processo corre em segredo. Independente disso, importante que não ficássemos falando disso pelo impacto, até pela segurança das famílias. Tem esses aspectos. O que posso dizer, que da forma com que foram vazados, é não. Não são aqueles valores que foram apresentados. Em relação ao MP, é o MP que tem que informar – disse Landim, na entrevista coletiva. 

A alegação, porém, é rebatida pelos advogados, que afirmam que a ata da reunião entre Flamengo, Defensoria Pública e Ministério Público, no último dia 18, o clube havia, sim, feito uma proposta “em valores ínfimos”. 

“Demonstrando uma Grande mentira arquitetada e planejada para dar explicações aos seus patrocinadores, torcedores e a sociedade em geral”, diz trecho da nota dos advogados. 

Após a reunião, foi explicado que a Câmara de Conciliação havia sugerido indenização de R$ 2 milhões por família e uma remuneração mensal de R$ 10 mil até que os meninos completassem 45 anos. Já o Flamengo, teria oferecido uma indenização entre R$ 300 mil e R$ 400 mil e uma remuneração de um salário mínimo por 10 anos. 

Em encontro na última quinta-feira, o Rubro-Negro chegou a oferecer R$ 700 mil, mas não se chegou a um acordo e, agora, as negociações devem ser feitas de maneiras individuais.

Veja abaixo a nota na íntegra: 

O documento “Ata de Reunião – Flamengo x Defensoria Pública x Ministério Público” , datado em 18/02/2019, desmente veemente as declarações da coletiva de imprensa do Presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, no qual todas as informações dadas pelo próprio Presidente revela a proposta do Flamengo, em valores ínfimos, demonstrando uma Grande mentira arquitetada e planejada para dar explicações aos seus patrocinadores, torcedores e a sociedade em geral. 

O fato do presidente NUNCA estar presente em uma reunião até a presente data, é o preço que ele paga pelas informações desencontradas e levianas !!! 

Com as inverdades norteadas, o Flamengo age de forma COVARDE e ARDILOSA com as famílias, objetivando confundir e distorcer a verdade dos fatos. 

Representantes da Família do Christian Esmério 
Dr. Marcio Costa 
Dr. Arley Campos 
Dr. Rafael Augusto 

Flamengo, também por meio de nota oficial, deu a resposta:
 

O Clube de Regatas do Flamengo reitera que a ata apresentada pelo MP-RJ e pela Defensoria Pública na semana passada – com uma proposta de indenização às famílias dos atletas vitimados pela tragédia de 08/02 – refere-se a valores que foram colocados à mesa num estágio inicial de negociações. Ou seja, era tão somente um piso que marcaria a abertura do processo.

Conforme informou o presidente Rodolfo Landim durante entrevista coletiva realizada no último domingo (24), o Flamengo sempre esteve disposto a avançar neste processo junto aos familiares. 

O Clube já havia, inclusive, sugerido valores superiores àqueles que balizaram indenizações em ocorrências similares no país. 

O Flamengo segue à disposição dos familiares para a retomada desse processo, tendo o máximo interesse de que a sua conclusão se dê da forma mais rápida e justa, de modo a atender às necessidades individuais de cada uma das famílias enlutadas. 

LANCENET

Compartilhe!