Em noite de estreias, Dourado faz de bicicleta, mas Fla empata com Resende

Em dia de estreias de Gabigol e De Arrascaeta, o Flamengo encarou o Resende e não saiu de um empate por 1 a 1. Joseph abriu o placar para o Alvinegro, mas Henrique Dourado, de bicicleta, deixou tudo igual.

A partida evidenciou que o Fla ainda está em fase de ajustes na parte física e tática. Disposto a dar descanso ao elenco, Abel Braga mandou a campo um time completamente diferente daquele que venceu o Bangu por 2 a 1.

Na próxima rodada, os rubro-negros encaram o no sábado o Botafogo, às 17h, no Nilton Santos. Já o Resende visita no domingo a Cabofriense.

Astros em campo
Contratações mais badaladas até o momento, Gabigol e De Arrascaeta foram o centro das atenções no Raulino de Oliveira. Ainda em início de preparação, a dupla sentiu a falta de entrosamento com os companheiros.

Os dois procuraram o jogo, mas o uruguaio foi mais decisivo, visto que teve participação na construção da jogada do gol de Dourado. Fora isso, se mexeu e tentou encaixar um ou outro passe.

Gabriel foi um pouquinho mais discreto, mas também foi vítima de um time que demonstrou pouca capacidade de construção. Sem muita colaboração, acabou anulado entre os zagueiros.

Correria
Os primeiros 45 minutos foram agitados na Cidade do Aço. Bem organizado, o Resende bloqueou os espaços do Flamengo e levou perigo a César. Em duas ocasiões, Maxwell quase surpreendeu o Fla.

Mas a boa presença do Alvinegro foi logo premiada após cabeçada de Joseph, que subiu sem marcação e abriu o placar. O Fla não jogava mal, mas tinha dificuldade para penetrar. E foi necessário um lance de rara felicidade para que o Fla empatasse. De Arrascaeta encontrou Trauco, que cruzou para Dourado emendar de bicicleta.

O jogo seguiu corrido e a equipe do Sul Fluminense não se intimidou com o barulho da torcida rubro-negra. Em chutes de Vitinho e Filipi Souza, o Resende quase chegou lá. Desentrosado, os jogadores do Flamengo tiveram dificuldades para dialogar em campo, ainda que não tenha faltado disposição.

Ritmo diminui
O jogo caiu consideravelmente de ritmo na etapa final, com o Flamengo demonstrando lentidão na saída para o ataque e pouco poder de marcação diante de um rival que tentou a vitória.

Abel detectou o desgaste físico e mandou sangue novo a campo, mas Thiago Santos, Cuéllar e Vitinho não transformaram o Flamengo. Este último, no entanto, fez boa jogada individual, cruzou para Dourado, mas o jogador cabeceou para fora e desperdiçou a melhor oportunidade. Além deste lance, buscou muito o jogo e teve boa participação.

Não fosse por uma grande defesa de César, Zambi teria dado a vitória aos alvinegros. A partida ficou mais aberta com as mexidas de parte a parte, mas o panorama seguiu igual até o fim. A noite, que tinha previsão de terminar com festa, acabou meio sem graça para os rubro-negros.

Queda de luz
Com um pouco mais de cinco minutos de bola rolando, parte da iluminação do Raulino de Oliveira caiu. Um disjuntor desarmou e deixou parte do campo às escuras. A situação voltou ao normal após 14 minutos de pausa.

Molecada em campo
O Flamengo teve De Arrascaeta e Gabigol, mas o time que entrou em campo foi formado em grande parte por jogadores criados em casa, casos de César, Léo Duarte, Dantas, Hugo Moura e Jean Lucas.

Cena rara
Tradicionalmente, o Raulino de Oliveira não recebe grandes públicos, mas esse panorama mudou no dia das estreias de Gabigol e De Arrascaeta. Com ótima presença rubro-negra, o campo de Volta Redonda recebeu um bom número de pessoas.

Uol

Compartilhe!