Com um a mais, Flamengo vira sobre o Bangu na estreia do Carioca

Por mais que a estreia no Carioca tenha sido com vitória, o início do “ano que promete” para o Flamengo não foi da forma esperada. O pacote da tarde no Maracanã teve gol prematuro de lateral e um pênalti marcado a favor do Fla em uma jogada na qual a bola saiu pela linha de fundo e a arbitragem não viu. Pior: o lance gerou cartão vermelho para um jogador do Bangu. Com esses e outros ingredientes, o rubro-negro venceu por 2 a 1, de virada, na primeira rodada da Taça Guanabara.

O placar poderia ter sido mais folgado se Diego, que converteu a penalidade no empate do Fla,não tivesse perdido uma segunda cobrança, já no segundo tempo. Mas o erro não impediu que o camisa 10 fosse muito aplaudido ao ser substituído.

Na expectativa por ver em ação a formação ideal do Flamengo em 2019, ficou claro que a torcida vai precisar exercitar a paciência. O Bangu trouxe um certo choque de realidade ao cenário de empolgação gerado pela Florida Cup e pela movimentação do mercado.

Se uma hora antes de a bola rolar os poucos rubro-negros que já estavam no interior do estádio saudaram os recém-contratados Gabigol e Arrascaeta, três minutos de bola rolando foram suficientes para o primeiro susto. E logo com um reforço envolvido: Rodrigo Caio. Ver o zagueiro perder a disputa de cabeça com Anderson Lessa em uma cobrança de lateral trouxe o questionamento automático sobre a barração de Léo Duarte, titular em 2018 que perdeu espaço com a chegada de Abel Braga e do próprio Rodrigo Caio.

Seria injusto dizer que o time se abalou com o gol. Mesmo no calor carioca, o Fla imprimiu ritmo intenso de jogo. Do outro lado, encontrou um inspirado goleiro Jefferson.

O Fla era melhor quando surgiu o lance que mudou a história do jogo. Renê e o marcador se embolaram na linha de fundo, e a assistente Rejane Caetano da Silva não viu que a bola ultrapassou por completo a linha. Talvez porque ela também tenha recebido uma trombada dos jogadores. O fato é que a jogada seguiu e culminou com o toque de mão de Felipe Dias quase em cima da linha. O cartão vermelho aplicado por Bruno Arleu, diante das circunstâncias, foi correto. Mas se o VAR tivesse em ação, certamente a jogada seria anulada. Coube a Diego, fazer o gol.

Com um amenos ainda aos 15 minutos do primeiro tempo, o Bangu se viu em uma situação complicada. Ao mesmo tempo, quando se imaginava que o Flamengo avançaria de forma avassaladora sobre o adversário, o jogo ficou mais morno.

Só no segundo tempo o cenário clareou para o Fla. Desta vez, um integrante da zaga rubro-negra foi protagonista positivamente. Foi de Rhodolfo o gol da virada, que fez o time e a torcida respirarem aliviados. O placar foi bom, mas as circunstâncias e, sobretudo, a necessidade de evolução não podem ficar escondidas.

O GLOBO

Compartilhe!