Abel Braga enaltece ‘espírito coletivo’ do Flamengo e elogia Bruno Henrique

Após a vitória do Flamengo sobre o Botafogo, na tarde deste sábado, no Nilton Santos, o técnico Abel Braga elogiou o espírito coletivo do time rubro-negro, que conseguiu a virada e triunfou por 2 a 1, com dois gols de Bruno Henrique. 

Apesar do bom resultado, o comandante apontou que a equipe teve erros e que os jogadores, individualmente, estiveram abaixo do esperado. 

– Hoje, tivemos o espírito coletivo. Se sobressaiu muito. Muito mais convincente que a parte individual. Foi o jogo que mais erramos. Erramos no gol (do Botafogo) no corte da bola e depois, quando recuperamos, perdemos e sofremos o gol, mas mesmo assim ficou nítido que individualmente ficamos abaixo. O coletivo, hoje, fez diferença. Eu podia estar me vangloriando porque o Bruno entrou e resolveu, mas a equipe foi preparada para fazer aquilo no segundo tempo – disse 

Abel aproveitou para fazer elogios ao atacante Bruno Henrique, que fez a estreia pelo Flamengo e se tornou o nome do jogo. 

– Lembra do gol dele contra o Fluminense, quando o Santos venceu por 1 a 0? Nós (Fluminense) jogávamos com três centrais e, no primeiro ataque do Santos, ele fez uma diagonal, matou no peito e fez. Um jogador do tamanho dele, com presença de área, velocidade. É sensacional. Não tem a potência (no chute) do Vitinho, mas tem faro de gol. Estou contente porque ele nem treinou com essa equipe. Como fez os gols, estão me dando essa moral (risos). Todo mundo queria Arrascaeta e Gabigol. Ele está de parabéns, assim como todo mundo. O que impressionou é que parece que ele esta treinando há muito tempo com o pessoal – apontou ele, que completou: 

– O Bruno Henrique deu uma opção tática muito interessante. Posso te garantir que foi o primeiro nome que pedi. 

O treinador explicou ainda o motivo de ter tirado o meia Diego e colocado o volante Piris. 

– Opção tática. Eu ia colocar o Arrascaeta, mas quando vi que ele (Zé Ricardo) colocou o Pimpão, ficou com o Luiz Fernando por trás do Kieza, vi que optou por um jogador ofensivo. Eu estava vencendo jogo, um jogo seguro. É assim, como gato e rato. Tivemos todo o domínio. Foi um jogo sem grandes oportunidades, mas, mesmo depois da entrada do Piris, tivemos duas ou três chances. Foi uma vitória justa – afirmou.

Veja outros tópicos da coletiva: 

Questão física do elenco
 

Aspecto físico… Vocês que gostam de números, de falar que tem cinco meses que não ganha clássico, não sei quanto tempo que não ganha do Botafogo. Essas estatísticas loucas. Para resumir, foi o espírito do grupo. Ano passado, em 67 jogos, o Flamengo só virou um. Esse ano, em três, virou dois. 

Terceiro jogo que Flamengo sai atrás 

Falha coletiva. Não pode falar que foi (falha) dos zagueiros, nenhum dos gols. O primeiro, contra o Bangu, houve falha, mas uma falha mais de concentração que individual. Tenho ficado, realmente, muito satisfeito. O zagueiro do lado oposto da bola não tem ficado em linha. Raramente existe impedimento do ataque adversário. Não queremos isso, bola enfiada. Temos nos saído bem. falta um pouquinho mais de concentração. Demoramos a diminuir no gol do Botafogo. Espero que não tenha todo jogo de ficar correndo atrás de resultado. Isso é muito ruim. Mas em três jogos, não se perdeu. Alguma coisa diferente está acontecendo com esse Flamengo. 

Time para terça-feira 

Eu ainda não pensei. Amanhã (domingo) de manhã, eu vou treinar. Ainda não tive folga. Se eu não tiver um tempinho para pensar, aí mata papai (risos). Estou começando a pensar em misturar um pouco (os times). Isso, estou pensando. Não estou afirmando que farei, mas estou pensando.

LANCENET

Compartilhe!