Flamengo faz contas e ainda avalia se volta ao Conselho para pedir empréstimo rejeitado há 20 dias

De contrato assinado com o Milan, Lucas Paquetá tem mais nove jogos para fazer pelo Flamengo. A venda do meia provocou alvoroço no clube, com acusações veladas, pedido de investigação da oposição e resposta da diretoria, em pronunciamento do presidente Eduardo Bandeira de Mello. A negociação só será confirmada com a autorização do Milan, o comprador, mas faz o Flamengo rever os números do seu orçamento.

A proposta de readequação orçamentária, rejeitada no fim de setembro, em reunião no Conselho de Administração, realizada no dia seguinte da eliminação para o Corinthians na Copa do Brasil, ainda está sob análise da diretoria do Flamengo para voltar ao CoAd.

A diretoria estuda os números, refaz as contas, mas considera levar o tema para votação neste final de mandato do desgastado presidente Bandeira. O tema gerá discussão interna entre apoiadores de Bandeira e de Lomba, vice de futebol e candidato indicato pelo atual presidente à sucessão.

A primeira parcela da venda de Paquetá será depositada pelo clube italiano até o fim do mês, no máximo até o início de novembro. Serão 5 milhões de euros do total de 35 milhões de euros da negociação – sem contar as variáveis de 10 milhões de euros.

Até agora, o Flamengo foi ao mercado pegar dois empréstimos. O primeiro, de R$ 15 milhões, em janeiro, e o segundo, de R$ 17 milhões, em julho. Era parte dos R$ 40 milhões orçados para todo o ano de 2018. O terceiro causou polêmica e controvérsia no Conselho de Administração. Destes R$ 32 milhões, o clube já “devolveu” – ou seja, quitou o empréstimo – cerca de R$ 10 milhões.

O empréstimo rejeitado era de R$ 22,5 milhões – com R$ 18 milhões líquidos. O que faria a conta de R$ 40 milhões de empréstimo aumentar para R$ 45,7 milhões, líquidos, conforme explicou o diretor de finanças Marcio Garotti em reportagem do “O Globo”.

Caso leve a proposta de readequação orçamentária à frente, o empréstimo pedido será menor – da ordem de R$ 10 milhões. O dinheiro seria usado para obras na sede da Gávea, principalmente.

Paquetá foi negociado por 35 milhões de euros, mas o Flamengo receberá 24,5 milhões de euros, em quatro parcelas. Confira mais detalhes da negociação abaixo.

– €5M quando Paquetá assinar o contrato (1º parcela)

– €15M em Janeiro de 2019 (2º parcela)

– €10M em Junho de 2019 (3º parcela)

– €5M em Janeiro de 2020 (4º parcela)

Globo Esporte

Compartilhe!