Mesmo com realidades diferentes, Botafogo e Flamengo recorrem a jovens na semifinal

​Botafogo e Flamengo entrarão em campo nesta quarta-feira (28), às 21h45 (de Brasília), pela semifinal do Campeonato Carioca, no Maracanã, apostando no vigor da juventude para continuar na briga pela taça estadual. Seja por carência ou necessidade, os dois rivais têm na garotada protagonistas das equipes, mesmo com ídolos em campo.

Os motivos, no entanto, não são os mesmos. Enquanto o Glorioso é um time – mais que isso, um clube – em reconstrução, com pouco dinheiro para investir e lutando para não se asfixiar em dívidas, o rival rubro-negro tem receita e elenco de cifras altas, destaques no Brasil. Para efeito de comparação: o clube da Gávea projeta orçamento para 2018 na casa dos R$ 470 milhões, com praticamente metade deste valor destinado ao futebol. O Alvinegro, por sua vez, tem expectativa de gerar pouco mais de R$ 200 milhões em todo o ano, com menos de 50% disto investido no campo e bola.

As realidades diferentes refletem-se nas equipes. O time base do Botafogo, que deve entrar em campo na quarta-feira tem média de idade de 24 anos. Sete deles tem 23 anos ou menos, enquanto só um ultrapassa a barreira dos 30, Jefferson, com 35. Com a torcida, dois que têm recebido elogios são o zagueiro Igor Rabello e o atacante Brenner, com 22 e 24 anos, respectivamente.

Já o Flamengo conta com um elenco que passa dos R$ 11 milhões só de salários. Do time considerado titular, quatro jogadores têm mais de 30 anos: Diego Alves, Réver, Juan e Diego, e outros três estão perto disso. Contudo, assim como no rival, são os jovens que estão em lua de mel com as arquibancadas. Seja pelos gols no Carioca ou na Libertadores, Lucas Paquetá e Vinicius Jr. são as apostas de talento do técnico Paulo César Carpegiani.

Esporte Interativo

Compartilhe!