Saída de renegados aliviou folha do Flamengo em R$ 13,5 milhões

Não se tratava apenas de uma necessidade técnica, mas também financeira. Quando iniciou o planejamento para a temporada 2018, o departamento de futebol do Flamengo sabia da urgência em resolver a situação dos jogadores renegados pela torcida. Era uma exigência do Conselho Diretor ao executivo da pasta, Rodrigo Caetano, e ao vice-presidente, Ricardo Lomba.

A reportagem do UOL Esporte apurou que a meta estipulada foi cumprida. De acordo com os números das negociações do Rubro-negro para a temporada, a desoneração da folha de pagamento anual do elenco foi de R$ 13,5 milhões. As saídas de Alex Muralha, Rafael Vaz, Márcio Araújo, Gabriel, Matheus Sávio, Mancuello e outros estão incluídas na conta.

O número contempla gastos até dezembro de 2018 com cada um dos atletas em salários, encargos trabalhistas e direitos de imagem. Há ainda jogadores que nem sequer estavam no elenco, caso do volante Canteros, atualmente na Chapecoense.

Dos nomes que entraram em rota de colisão com a torcida, Alex Muralha, Gabriel e Matheus Sávio ainda têm contrato com o Flamengo. Rafael Vaz, Márcio Araújo e Mancuello se despediram de maneira definitiva.

O argentino foi vendido ao Cruzeiro, enquanto Felipe Vizeu defenderá a Udinese-ITA a partir do meio do ano. Entre negociações definitivas e empréstimos, o Flamengo já tem garantido o recebimento de R$ 27,3 milhões no ano.

Com as saídas dos jogadores questionados, vendas e chegadas apenas dos atacantes Henrique Dourado e Marlos Moreno – o goleiro Júlio César veio para um projeto de encerrar a carreira -, o Rubro-negro reduziu a folha de pagamento mensal em R$ 1,2 milhão em relação ao ano passado.

Também teve impacto no número a redução da comissão técnica. A folha de pagamento mensal do futebol do Flamengo atualmente é de cerca de R$ 9 milhões.

Uol

Compartilhe!