Paulinho e Lincoln voam no início do Mundial e contagiam a seleção brasileira

Eles se entendem tanto, que em alguns movimentos durante o jogo até parecem sincronizados. Paulinho e Lincoln se procuram no campo, dividem a liderança na seleção brasileira sub-17. Foi com papo e com paciência que o Brasil venceu a Coreia do Norte por 2 a 0 nesta terça-feira e se classificou para as oitavas de final do Mundial da Índia com uma rodada de antecedência.

Mas novamente foram os gols de Lincoln e Paulinho que fizeram a diferença. Assim como na estreia contra a Espanha, cada um marcou um gol contra os norte-coreanos. O entrosamento entre eles só cresce, e o time acompanha. Os meias Marcos Antônio e Alan e o atacante Brenner também têm se destacado lá na frente.

– Eles (Paulinho e Lincoln) já jogam juntos desde o Sul-Americano Sub-15, então isso facilita demais o olhar, o entrosamento, jogar próximo. E eles muitas vezes por conviverem, por jogarem contra e a favor, contra nós clubes e a favor na Seleção, facilita muito esse entrosamento e a gente aproveita – disse o técnico Carlos Amadeu.

O entrosamento é total. Nos jogos, nos treinamentos, nas brincadeiras, nas redes sociais. Após o jogo contra a Coreia do Norte, ambos postaram fotos para celebrar o resultado. Lincoln logo comentou no post de Paulinho:

– Te amo – escreveu.

Paulinho retribuiu na postagem do camisa 9.

– Simbora!

Entrosados também na criatividade. Contra a Espanha, comemoraram com funk. Contra a Coreia do Norte, sambadinha e pose para foto no estilo marrento.

– Essa parte é com o Paulinho, ele que tem essas ideias (risos) – contou Lincoln.

O atacante da base do Flamengo é mais contido diante dos microfones. Dá respostas curtas e ainda controla e timidez. Mas dentro de campo Lincoln orienta os companheiros, cobra, reclama. Raramente desiste de alguma jogada e é aquele tipo de atacante que preocupa zagueiros e goleiros.

Já Paulinho, que é profissional do Vasco, é expansivo, se comporta naturalmente nas entrevistas e adora uma brincadeira. Cada um na sua, mas juntos estão dando o que falar.

– Essa dupla está afinada. O Paulinho é um jogador excepcional e tem me ajudado muito – comentou Lincoln.

Nesta quarta-feira, o grupo do Brasil deixou Cochim e viajou para Goa, local da terceira e última partida da fase de grupos. Será contra Níger, nesta sexta, às 11h30 (de Brasília). Um empate garante o primeiro lugar na Chave D do Mundial.

GLOBO ESPORTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *